top of page
  • Foto do escritorFrancis Júnior Jornalista

Taxista vitima de assalto em Monlevade

O fato foi registrado na manhã de segunda-feira, dia 17.Algumas horas depois o taxista compareceu à delegacia de polícia onde fez a denúncia.

Ele disse que estava no ponto de táxi próximo à Caixa Econômica Federal, quando um homem que portava uma mala de viagem de rodinhas, solicitou uma corrida até a Ponte Coronel.

O motorista colocou a mala no porta-malas do carro e seguiu viagem. Ao entrar na estrada de acesso à lagoa de Peti o passageiro sacou um revólver e anunciou o assalto.

O bandido amarrou as mãos do motorista com braçadeiras plásticas e assumiu a direção do veículo. Dirigiu até uma plantação de eucaliptos onde deixou a vitima amarrada ao tronco de uma cerca. Para isso usou uma corda que estava no porta-malas do carro.

Antes de ir embora levando o veículo, um VW Virtus placa RMJ-3C37, um telefone celular Motorola MotoG7, cerca de R$300,00 e a carteira com documentos pessoais e cartões ele exigiu do taxista a senha do cartão de crédito e dos aplicativos bancários.

A vitima usou os dentes para romper as braçadeiras e seguiu a pé pela estrada até conseguir carona com um motorista de aplicativo que o trouxe de volta.

Em Monlevade, contou com o auxílio de um filho que acionou a seguradora. O veículo foi localizado abandonado na BR 381 nas proximidades do restaurante Gauchão, no trevo de Barão de Cocais.

Em contato com o banco a vitima descobriu que o bandido também já tinha efetuado saques em sua conta. E em contato com a operadora de telefonia descobriu que ele estava usando seu aparelho e a última chamada efetuada em BH, na região do Barreiro.

A polícia utiliza imagens de câmeras de vigilância para tentar identificar o criminoso.

3 visualizações
  • Whatsapp
  • Instagram
bottom of page