top of page
disp-AM-Aniv-Andrade-1160x160.png
  • Foto do escritorFrancis Júnior Jornalista

Rússia e a guerra que deu errado

A invasão da Ucrânia pela Rússia já provocou a morte de aproximadamente 300 mil pessoas.

Foi no dia 24 de fevereiro que a Rússia invadiu a Ucrânia em um ato terrorista que o presidente Vladimir Putin chamou de “operação militar especial”.

A meta era, em duas ou três semanas, tomar a capital Kiev, depor o presidente Volodymir Zelensky e colocar no poder um Governo aliado.

Mas as forças militares da Ucrânia resistiram e obrigaram os russos a recuar. Um ano depois, as forças russas permanecem em solo da Ucrânia, mas contabilizando derrotas em batalhas.

Fato que obrigou o presidente Vladimir Putin a convocar e mandar para a guerra mais 300 mil soldados reservistas e está convocando mais.

Crime contra a humanidade

O presidente Vladimir Putin e seus generais repetem o crime de guerra contra a humanidade da segunda guerra mundial. Com cidades inteiras destruídas, cerca de 300 mil pessoas já morreram.

Segundo informação do chefe do Exército norueguês, dentre as vítimas estão 180 mil mortos (ou feridos) nas fileiras do Exército russo e 100 mil do lado ucraniano, sem contar as 30 mil mortes de civis.

E como a Ucrânia recebe ajuda de países da Europa, além dos Estados Unidos, agora o Governo Russo ameaça com a produção de mais bombas atômicas e com a possibilidade de usá-las.

5 visualizações
  • Whatsapp
  • Instagram
bottom of page