top of page
disp-AM-Aniv-Andrade-1160x160.png
  • Foto do escritorFrancis Júnior Jornalista

Infestação de caramujo em Monlevade

A Prefeitura de João Monlevade alerta para nova infestação do caramujo africano (Achatina fulica) em João Monlevade.


O caramujo africano se reproduz muito rápido e é de difícil controle, pois não possui um predador natural. Além disso, o molusco gigante pode causar sérias doenças no ser humano, como a meningite.

Conforme levantamentos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, os bairros com maior incidência são Alvorada, Laranjeiras e Santo Hipólito. E a forma mais indicada para combatê-la é a catação.

A ação deve ser realizada nas primeiras horas da manhã ou à noite, horários em que os caramujos estão mais ativos, sendo possível coletar maior quantidade.

O secretário de Meio Ambiente, Samuel Domingos alerta que as mãos devem estar protegidas com luvas para evitar contato. Os ovos também devem ser recolhidos e todo material esmagado e coberto com cal virgem e enterrado em vala longe de rios, córregos e cisternas.

Um outro meio de combate é o mergulho em solução de água com cloro (três partes de água para uma de cloro) antes do descarte.

Para orientação da população sobre o caramujo africano, a secretaria de Meio Ambiente elaborou uma cartilha informativa. O material está disponível no APP Conecta Monlevade, no ícone Meio Ambiente.

Caramujo africano

É um molusco importado da África para substituir o escargot, mas a espécie não foi bem aceita pelos consumidores e proibida pelo Ibama.

4 visualizações
  • Whatsapp
  • Instagram
bottom of page